Governador entrega medalhas de mérito a equipes que foram a Brumadinho

Governador entrega medalhas de mérito a equipes que foram a Brumadinho

O governador Carlos Massa Ratinho Junior entregou nesta segunda-feira (1º) medalhas de mérito às equipes do Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, Polícia Científica e Defesa Civil que ajudaram nas operações de busca e salvamento em Brumadinho, Minas Gerais. O Paraná foi um dos primeiros estados do País a enviar especialistas para a cidade atingida pelo rompimento da barragem de Córrego do Feijão. As ações paranaenses duraram 33 dias.

Foram homenageados 28 bombeiros, quatro integrantes do Batalhão de Operações Aéreas da Polícia Militar, uma perita da Polícia Científica, dois capitães da Defesa Civil e dois cães (Thor e Brida). Eles receberam das mãos do governador Ratinho Junior a honraria destinada a reconhecer civis e militares que tenham se destacado em operações de salvamento de qualquer natureza.

A medalha tem formato de cruz de malta com o brasão do Grupo de Operações de Socorro Tático (Gost) e significa a valorização da vitória, da generosidade e do vencimento sem sangue.

Ratinho Junior também recebeu uma medalha de mérito das mãos do Comandante do Corpo de Bombeiros, Coronel Samuel Prestes, pela resposta imediata de ajuda ao Estado de Minas Gerais e pelos esforços de manter a corporação estruturada para atender qualquer demanda regional ou nacional.

“É o mínimo que o Estado pode fazer em reconhecimento ao talento, dedicação e bravura dos bombeiros e das equipes, que diante dessa tragédia lamentável se colocaram à disposição para ajudar. A medalha é um gesto de agradecimento aos anos de treinamento e a esse ato de solidariedade”, afirmou o governador. “Vocês representaram o nosso povo e a nossa esperança para salvar o máximo de vidas possível”.

SACRIFÍCIO É DEVER - A ação conjunta contou com as participações fundamentais das coordenações da Defesa Civil, da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros e da Secretaria de Segurança Pública. A missão determinada pelo governador teve como mote o lema dos Bombeiros, de que “por uma vida todo sacrifício é dever”.

A violência do vazamento de lama e rejeitos foi comparada por especialistas que acompanharam a tragédia a um atropelamento de um carro a 70 km/h. O balanço mais recente da Defesa Civil de Minas Gerais aponta 217 mortos, 87 desaparecidos e 395 pessoas localizadas pelas forças conjuntas.

Fonte: AEN

Deixe seu Comentário