Prefeitura do litoral decreta situação de emergência por causa da febre amarela

Prefeitura do litoral decreta situação de emergência por causa da febre amarela

A Prefeitura de Antonina, no Litoral, publicou na quarta-feira, 6, um decreto que declara situação de emergência em razão do possível surto de febre amarela na região. O documento foi assinado pelo prefeito José Paulo Vieira Azim (PSB) na última sexta-feira (1º) e publicado em Diário Oficial. 

Segundo o decreto, as Unidades de Saúde do município deverão funcionar em horários especiais a serem definidos pela Secretária de Saúde.No último mês, três macacos foram encontrados mortos na região e um homem, de 21 anos, morador da cidade, contraiu o vírus e recebe tratamento no Hospital Regional do Litoral, em Paranaguá.

A prefeitura, no entanto, garante que os eventos de carnaval, tradicionais da cidade, seguirão a programação normal.

Prevenção

Moradores de Curitiba, região metropolitana, e do Litoral, ou quem planeja visitar as praias paranaenses, devem procurar a vacinação contra o vírus que causa a febre amarela. A vacinação é recomendada para pessoas entre nove meses e 59 anos que nunca tenham se vacinado.

Segundo a Secretaria da Saúde do Paraná (Sesa), o sistema de saúde pública conta com estoque de 300 mil doses de vacina disponíveis em todas as regionais do estado.

Sintomas

Os sintomas são febre com início súbito em pessoas que nunca tomaram a vacina contra a febre amarela ou com vacinação há menos de 10 dias e que tenham estado em áreas de matas, rios ou áreas de circulação viral comprovada nos últimos 15 dias.

Essas condições devem estar associadas a outros dois ou mais sinais, como cefaleia, náusea, vômitos, dor articular, dor abdominal, dor lombar, icterícia ou hemorragias.

Deixe seu Comentário