México deporta 98 migrantes por tentativa de entrar nos EUA

México deporta 98 migrantes por tentativa de entrar nos EUA

O governo do México deportou 98 migrantes centro-americanos que tentaram cruzar a fronteira com os Estados Unidos no último domingo, 25. No mesmo dia, um grupo de 42 pessoas foi presa em território americano depois de ter ingressado no país sem documentação.

No final de domingo, houve conflitos na divisa entre Tijuana e San Diego quando centenas de pessoas, entre elas mulheres e crianças, tentaram romper a cerca que separa os Estados Unidos do México. Os guardas de fronteira americanos usaram gás de pimenta e atiraram com balas de borracha para dispersar a agitação. Ainda assim, alguns imigrantes conseguiram passar.

Segundo Gerardo García, comissário da autoridade migratória mexicana, 98 migrantes presos no México depois da confusão foram “colocados à disposição do Instituto Nacional de Migração (INM)” para serem deportados nesta segunda-feira, 27.

Nesta segunda-feira pela manhã, o ministro do Interior mexicano, Alfonso Navarrete, já havia ameaçado deportar os migrantes envolvidos nos conflitos.

Presos nos Estados Unidos

A Patrulha Fronteiriça dos Estados Unidos também declarou ter prendido 42 migrantes que pularam as cercas de metal e de arame farpado no domingo e conseguiram entrar em território americano. Durante a confusão de domingo, os imigrantes teriam atacado com pedras os oficiais americanos que protegiam a cerca que separa os dois países.

“No início, tínhamos dois ou três agentes enfrentando centenas de pessoas nesse momento, portanto utilizaram o gás para se proteger e proteger a fronteira”, disse um dos policiais à emissora CNN.

Três agentes foram agredidos. Mas, por estarem usando equipamento de proteção, não sofreram ferimentos graves. Veículos estacionados no local foram danificados pelo impacto dos objetos lançados pelos imigrantes.

Os migrantes que tentam entrar nos Estados Unidos fazem parte das caravanas que fogem da crescente violência de gangues de narcotraficantes na América Central, principalmente de Honduras, Guatemala e El Salvador.  Carregando poucos pertences, milhares de migrantes atravessam o México a pé, em carros improvisados ou em ônibus, levando suas crianças.

Fechamento da fronteira

Diante do aumento da tensão na região, as autoridades americanas fecharam pela terceira vez em uma semana a passagem internacional entre San Diego e Tijuana. O Escritório de Alfândegas e Proteção Fronteiriça (CBP) justificou que a medida responde ao crescente número de pessoas que pretendem entrar ilegalmente nos Estados Unidos.

“Diante da possibilidade de outros grupos também se separarem das manifestações para uma possível tentativa de entrar ilegalmente nos pontos de entrada, o CBP suspendeu suas operações”, indicou um porta-voz do escritório.

O presidente Donald Trump disse hoje no Twitter que está disposto a fechar a fronteira “permanentemente” se o México não atuar para enviar outra vez aos seus países de origem os imigrantes, a quem chamou de “criminosos”.

Trump aproveitou para pedir ao Congresso que libere as verbas necessárias para a construção do muro na fronteira com o México, algo que ele pede desde que chegou à Casa Branca, em 2017.

Deixe seu Comentário