Lição de amor: casal de Umuarama adota cinco irmãos

Lição de amor: casal de Umuarama adota cinco irmãos

Quanto amor pelos filhos o coração de um pai e de uma mãe é capaz de suportar? Quantos filhos um casal é capaz de amar ao mesmo tempo? No caso da Daniela Camporezi Kohatsu e do Douglas Kohatsu, o coração deles é ocupado por 5 lindas crianças. Filhos, que nasceram no coração do casal. A história começa com o Daniel, o primogênito da família, quando ele tinha 9 anos. Daniel foi o primeiro filho a ser adotado pelo casal lá em 2014.

O casal não pode ter filhos biológicos por problemas de saúde. Então resolveram adotar. Daniela  conta que quando receberam a ligação informando que havia uma criança disponível para adoção eles tiveram certeza que aquele era o filho dela que estava a caminho. Em um ano o processo da guarda definitiva do Daniel havia saído e aí o casal recebeu a notícia que mudou a vida deles “ A gente achou que a ligação era apenas para informar que a certidão de nascimento do Daniel com os nossos nomes estava pronta. Mas aí nos falaram que os irmãos do Daniel estavam disponíveis para adoção e que eles já seriam encaminhados para outras famílias. Eles seriam separados. Foi aí que conversamos e, falamos com as nossas famílias, e decidimos que os irmãos seriam nossos filhos. Foi uma surpresa como uma gestação de quádruplos.”

Em pouco tempo o casal tinha 5 filhos: Daniel, Vitória, Jonathan, Henrique e Mateus. Em pouco tempo a família cresceu e ficou cheia de amor. 

Dia Mundial da Adoção

Dia 09 de novembro é o Dia Mundial da Adoção, uma data que tem como objetivo conscientizar a população sobre a importância da adoção.

Atualmente, no Brasil, segundo dados do Cadastro Nacional de Adoção, mais de 5 mil crianças estão em abrigos em todo o Brasil esperando por uma lar definitivo, por uma família. Mas, o número de pretendentes é ainda maior, 44 mil pessoas estão cadastradas para adotar uma criança. Mas, por que a conta não fecha? Porque a lista de exigências de muitos pais acaba impossibilitando que as crianças e, principalmente, os adolescentes, sejam adotados no Brasil

A realidade nos abrigos são de crianças com mais de 4 anos que possuem irmãos e, que acabam não sendo a preferência de muitos pais. 

Fonte: Portal Umuarama

Deixe seu Comentário