Único time a bater o Boca na Liberta, Verdão crê em reencontro diferente

Único time a bater o Boca na Liberta, Verdão crê em reencontro diferente

A única derrota do Boca Juniors (ARG) nesta edição da Libertadores foi para o Palmeiras, na Bombonera, na fase de grupos. Os dois times se reencontram nesta quarta-feira no estádio em Buenos Aires agora pela semifinal, e os atletas do Verdão imaginam um duelo bem diferente daquele de abril.

- Apaga tudo o que aconteceu, é totalmente diferente do que foi o primeiro jogo. Gol fora qualificado é importantíssimo. O Palmeiras tem de ir para fazer gol, isso faz uma diferença muito grande para o segundo jogo. Mas sabendo que vai enfrentar uma equipe totalmente diferente da que foi no jogo de lá e sabendo que é uma semifinal de Libertadores - analisou Edu Dracena.

O momento naquele triunfo por 2 a 0, inclusive para o Palmeiras, era bem diferente. A equipe chegou a Buenos Aires sob protestos, especialmente contra Dudu, e agora viajou para a Argentina com muita festa no "Aeroporco". O comandante alviverde ainda era Roger Machado, substituído por Felipão, ídolo que recuperou o time no Campeonato Brasileiro, que hoje lidera.

Guillermo Barros Schelotto segue à frente do Boca, mas agora reforçado pelas voltas de Gago e Benedetto, que estavam lesionados, além de ter Mauro Zárate, contratado depois daquele duelo e um dos destaques do time. Com ele, inclusive, Tevez tornou-se reserva.

Do Palmeiras que impôs a primeira derrota do Boca por dois gols de diferença na Libertadores desde 1966, há também novidades na escalação. Weverton é o goleiro na vaga de Jailson, Marcos Rocha deu lugar a Mayke, Antônio Carlos e Edu Dracena podem ser substituídos por Luan e Gustavo Gómez, enquanto Moisés é titular em vez de Lucas Lima, que fez um gol por cobertura naquela noite. Keno, autor do primeiro gol, foi vendido e Willian é quem joga.

Se repetir o feito da última partida na Bombonera é algo difícil, o Verdão não quer viver um roteiro parecido com o do Cruzeiro, que nas quartas de final perdeu por dois gols de diferença e não marcou como visitante. Após o 2 a 0 fora de casa, a Raposa não conseguiu reverter a desvantagem e só empatou no Mineirão (1 a 1).

- É um Jogo difícil, sabemos da força do Boca jogando em casa. É semifinal de Libertadores. Sabemos que vai ser muito duro e difícil, vamos focados para conseguir um grande jogo e um grande resultado - avisou Bruno Henrique.

Escalação do Boca na derrota para o Palmeiras, dia 25/4: Rossi; Jara, Vergini, Magallán e Mas; Nández, Sebastián Pérez (Reynoso) e Pablo Pérez; Carlos Tevez (Walter Bou), Pavón e Ábila. Técnico: Guillermo Schelotto

Escalação do Palmeiras naquele jogo: Jailson; Marcos Rocha, Antônio Carlos, Edu Dracena e Diogo Babosa; Felipe Melo, Bruno Henrique e Lucas Lima (Moisés); Keno (Hyoran), Dudu e Miguel Borja (Willian). Técnico: Roger Machado

Provável Boca para a semifinal: Rossi; Jara, Izquierdoz, Magallán e Olaza; Nández, Barrios e Pablo Pérez; Pavón, Wanchope y Zárate. Técnico: Guillermo Schelotto

Provável Palmeiras para a semifinal: Weverton; Mayke, Luan, Gustavo Gómez e Diogo Barbosa; Felipe Melo, Bruno Henrique e Moisés; Dudu, Willian e Borja. Técnico: Luiz Felipe Scolari

Deixe seu Comentário