União de forças pode viabilizar nova cadeia para Umuarama

União de forças pode viabilizar nova cadeia para Umuarama

Uma reunião nesta quinta-feira (18), às 15h, entre autoridades jurídicas e policiais, Conselho Municipal de Segurança e Conselho da Comunidade, poderá definir o destino da cadeia de Umuarama. A intenção é desativar a unidade e construir uma nova e estrutura, em local afastado.

“É uma ideia que tenho desde que assumi a chefia da 7ª SDP. Desativar a cadeia e construir outra, em uma área afastada, trará mais segurança para os moradores das redondezas e para o trabalho geral dos policiais, principalmente no atendimento às vítimas”, comenta o delegado chefe, Osnildo Carneiro Lemes.

A reunião será realizada no auditório do Programa de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) e contará com a presença de diretores do Depen (Departamento Penitenciário) do Paraná, do prefeito Celso Pozzobom, e representantes de segmentos organizados da sociedade.

Segundo o delegado, o prefeito já destinou uma área superior a 18 mil metros quadrados (espaço mínimo exigido pelo Depen), na saída para o distrito de Serra dos Dourados.

Ele ressalta que somente uma união das forças políticas do município será capaz de fazer com que a obra seja viabilizada.

“Para que o terreno seja efetivamente doado, será necessária a elaboração de um projeto de lei, de autoria do poder executivo, e a aprovação dos vereadores”.

O segundo passo seria a aquisição de recursos para a obra.

“O estado é quem fica responsável pela construção. Sabemos que existem verbas federais destinadas à construção de cadeias. Em Guaíra, por exemplo, a comunidade não quis uma nova cadeia e a verba, aproximadamente R$ 24 milhões, foi ‘devolvida’ e está disponível. Pode ser que exista a possibilidade da utilização para a construção de uma nova unidade em Umuarama”, salienta.

Os valores a serem investidos na construção de uma nova Casa de Custódia não foram levantados, mas o delegado reforça que um engenheiro já disponibilizou gratuitamente um projeto ao governo estadual.

Deputado Delegado Fernando

Para tanto, conta com o apoio do deputado estadual eleito Delegado Fernando. “A construção de uma nova cadeia é uma das metas apresentadas durante a campanha. Vamos intervir junto ao novo governo do Estado em busca dos recursos necessários para a conclusão da obra com rapidez”, afirmou Fernando.

Osnildo faz uma comparação: “Cadeia e preso são doenças incuráveis, mas existe tratamento. A sociedade não vai se livrar nunca deles, portanto é melhor conviver com isso em uma área segura e com infraestrutura”.

Lemes afirma que vai lutar junto ao novo governo do Paraná para a construção da nova Casa de Custódia. “Como estarão presentes representantes do Depen, tudo indica que há uma disposição muito grande em resolver este problema em Umuarama”.

Motim

Osnildo lembrou do episódio de setembro de 2017, quando vândalos depredaram a delegacia e paralelamente detentos iniciaram uma rebelião que destruiu quase toda a cadeia.

“Nós convivemos dia a dia em volta de um verdadeiro barril de pólvora pronto para explodir. Não podemos mais viver com isso, temos que transferir a cadeia para uma área segura, estruturada, com um projeto de engenharia moderno”.

Destino do cadeião

O delegado conta que o espaço onde ainda funciona a cadeia, será utilizado na ampliação do atendimento ao público. “A ideia é instalar o Instituto Médico Legal (IML) naquele local e aproveitar o máximo o espaço e se possível, até criar novos cartórios”.

Infraestrutura

O delegado chefe comemora o avanço na infraestrutura da delegacia desde que chegou à cidade. Entre tantas obras, a construção de um poço artesiano gerou uma economia ao Estado de mais de R$ 30 mil mensais.

“Chegamos a pagar contas de água no valor de R$ 35 mil. Os presos deixam as torneiras ligadas o dia todo dentro da cadeia. Depois que construímos o poço artesiano estamos pagando em média apenas R$ 3 mil mensais”, comemora.

Está em fase de conclusão a construção do auditório, que será usado também como sala de aula com capacidade para 80 pessoas, além da modernização da ala de atendimento ao público no plantão. “Vamos construir mais três cartórios e vamos ampliando onde há espaços”.

Fonte: O Bemdito.

Deixe seu Comentário